InícioInícioTorneios de Xadrez OnlineDownloadsJogarRegistrar-seBuscarConectar-se

Compartilhe | 
 

 Treino de Xadrez

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Treino de Xadrez   Ter 08 Maio 2012, 12:33

TREINO DE XADREZ!!
Neste irei tópico agrupar para vocês vários artigos didáticos
escritos pelo Kannkeen em seu blog pessoal positivo .


Kannkeen
"Sou estudante de Engenharia e amante do Xadrez. Meta: Ser MI e quem sabe um dia GM! Moro atualmente em Guaratinguetá e disputos torneios, principalmente no Vale do Paraíba"

HOMEPAGE
http://treinodexadrez.blogspot.com.br/

partida xadrez


Última edição por Leon Mendes em Qui 17 Maio 2012, 22:14, editado 7 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Abertura no xadrez   Ter 08 Maio 2012, 12:36

1.Abertura no Xadrez


- DESENVOLVA RAPIDAMENTE TODAS AS PEÇAS
A abertura é a fase do jogo na qual o principal objetivo é desenvolver as peças e fazer o roque o mais rapidamente possível.
A abertura estará completa quando um ou ambos os jogadores tiverem as suas torres conectadas.O jogador que terminar o seu
desenvolvimento primeiro, ganhará a iniciativa.

- DESENVOLVA OS CAVALOS ANTES DOS BISPOS
Enquanto os bispos conseguem controlar várias casas de suas posições originais, se não houver peões obstruindo sua passagem,
os cavalos, por serem peças de menor mobilidade, dominam apenas as casas vizinhas e demoram mais para chegar ao campo
adversário.

- NÃO MOVA DUAS VEZES A MESMA PEÇA DURANTE A ABERTURA
A cada lance, tente colocar suas peças nas melhores posições possíveis. Mexer a mesma peça mais de uma vez durante a abertura
é uma perda de tempo e pode significar a perda da iniciativa.

- NÃO FAÇA MOVIMENTOS DESNECESSÁRIOS DE PEÕES NA ABERTURA
Durante a abertura deve-se restringir ao máximo o movimento de peões. Pois, o tempo gasto com esses movimentos poderia ser
utilizado para desenvolver uma peça. Geralmente, o movimento de peões é adequado quando tem a finalidade de ocupar o centro
ou abrir diagonais para a dama e os bispos.

-NA ABERTURA COLOQUE A DAMA ATRÁS DA SUA PRÓPRIA LINHA DE PEÕES
Por ser uma peça muito poderosa, a dama também é uma peça muito vulnerável e alvo constante de ataque adversário. Por isso,
durante a abertura é conveniente colocá-la atrás de um peão, preferivelmente na segunda fila, liberando a primeira fila para
o desenvolvimento das torres.

- NUNCA TROQUE PEÇA DESENVOLVIDA POR PEÇA NÃO DESENVOLVIDA
Em geral é um péssimo negócio trocar uma peça bem colocada por uma peça má colocada. Quando você troca uma peça desenvolvida
por uma peça não desenvolvida adversária, você perde o tempo consumido poraquela peça e a mesma coisa é válida se você trocar
uma peça que se moveu várias vezes, por uma do adversário que moveu-se apenas uma vez.

- FAÇA O ROQUE O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL
A segurança do rei é um dos mais importantes fatores durante a abertura e o meio-jogo.
O rei no centro, principalmente em posições abertas, estará sempre vulnerável a ataques do adversário.
Rocar significa colocar o seu rei confortavelmente atrás de uma barreira de peões e permitir o desenvolvimento de uma torre
que rapidamente poderá ocupar uma coluna aberta ou semi-aberta.

- O ROQUE PEQUENO É MAIS SEGURO DO QUE O ROQUE GRANDE

- TENTE IMPEDIR O ROQUE DO SEU ADVERSÁRIO
Se o seu adversário está demorando muito para rocar, tente prolongar ainda mais a sua estadia no centro. Uma das maneiras
mais usuais de se fazer isso é controlar uma das casas de passagem do rei (normalmente f1 ou f8, no caso do roque pequeno).
Manter o rei adversário no centro, na maioria das vezes, vale o sacrifício de um peão.

- DOMINE O MAIOR TERRITÓRIO POSSÍVEL
Aquele que possui vantagem de espaço dispõe de maior mobilidade para suas peças e, portanto, mais flexibilidade em transferir
suas peças de uma ala para a outra. Enquanto que, aquele que está numa posição restringida, tem dificuldade de manobrar suas
peças, o que pode ser fatal se elas forem requeridas para a defesa do rei.
Além de mais rápido (você só precisa mover duas peças), o roque pequeno deixa o rei mais longe do centro e mais seguro atrás
de uma fileira de peões protegidos. No entanto, fazer o roque na ala oposta ao do adversário, pode ser muito interessante
para criar mais chances de ataque.

- AVANCE PEÕES PARA GANHAR ESPAÇO
Embora o avanço de peões seja o principal recurso para restringir a posição inimiga, essa regra deve ser observada com
cuidado, pois quanto mais distante os peões estiverem da sua base se tornam mais difíceis de serem defendidos.
Além do mais, cada avanço de peão cria fraquezas em suas adjacências, que podem vir a ser ocupadas por peças inimigas.

- MANTENHA SUAS PEÇAS O MAIS PRÓXIMO POSSÍVEL DO CENTRO
Uma peça no centro controla mais casas do que em qualquer outra parte do tabuleiro. Enquanto um cavalo colocado no centro
pode se mover para oito casas, um cavalo situado em um dos cantos tem apenas duas opções de movimento. O controle do centro
também é importante porque é através dele que as peças se movimentam de um lado para o outro do tabuleiro e, se as suas peças
conseguem se movimentar mais rapidamente do que as peças do seu adversário, então você terá mais chances de criar um ataque
bem sucedido.

- NÃO DÊ XEQUES DESNECESSÁRIOS
Cheque desnecessário é aquele que pode ser facilmente defendido pelo adversário. Durante a abertura a maioria dos xeques pode
ser defendida com lances que favorecem o desenvolvimento.

- EVITE OS PEÕES DOBRADOS
Peões dobrados são dois peões da mesma cor, numa mesma coluna. Os peões dobrados têm menos mobilidade que os peões normais e
são mais vulneráveis ao ataque inimigo, especialmente quando são isolados. Contudo, nem sempre peões dobrados são uma
desvantagem. Muitas vezes, o dominio da coluna aberta ou semi-aberta adjacente ou o controle adicional do centro, pode ser
uma compensação suficiente.

- EVITE OS PEÕES ISOLADOS
Peões isolados são aqueles que não têm peões da mesma cor nas colunas vizinhas. Portanto, quando são atacados, não podem ser
defendidos por outro peão, mas devem ser defendidos por peças. A principal fraqueza de um peão isolado é que a casa em frente
dele é débil porque não pode ser controlada por outro peão e pode ser ocupada por uma peça inimiga. Os peões isolados são
ainda mais vulneráveis quando estão em colunas semi-abertas, pois são alvos fáceis para as torres adversárias.

- EVITE AS ILHAS DE PEÕES
Cada grupo de peões separados por uma ou mais colunas é chamado de ilha. Cada ilha possui uma base que deve ser defendida por
peças. Portanto, quanto mais ilhas de peões você tiver, maior a dificuldade para defendê-las. Sempre que fizer uma troca é
muito útil considerar como ela influenciará a sua estrutura de peões. Nos finais de partida, o menor número de ilhas de peões
pode ser considerada uma vantagem significativa.

- EVITE AVANÇAR OS PEÕES COLGANTES
Chamamos peões colgantes, quando dois peões vizinhos não possuem amigos em suas colunas adjacentes.
Se eles estiverem numa mesma fila, eles podem controlar várias casas à sua frente, o que é uma vantagem, mas em compensação
eles não podem ser defendidos por outros peões.Se um deles avança, se cria um peão atrasado e uma casa débil que pode ser explorada pelo adversário.

- SEMPRE QUE POSSÍVEL, CRIE UM PEÃO PASSADO
Peão passado é aquele que não possui peões adversários no seu caminho, tanto na coluna onde está como nas colunas vizinhas.
O peão passado é considerado uma arma muito perigosa pois tem a possibilidade de avançar até a oitava fila e se promover.

-COLOQUE SEMPRE UMA TORRE ATRÁS DE UM PEÃO PASSADO
As torres se tornam mais ativas quando estão atrás de um peão passado, tanto para apoiar os seus próprios peões, quanto para
atacar os peões adversários.Se eles estiverem numa mesma fila, eles podem controlar várias casas à sua frente, o que é uma vantagem, mas em compensação eles não podem ser defendidos por outros peões.Se um deles avança, se cria um peão atrasado e uma casa débil que pode ser explorada pelo adversário.

-EVITE AVANÇAR OS PEÕES QUE PROTEGEM O SEU REI
Cada movimento de peão cria uma debilidade que, embora pareça irrelevante à primeira vista, pode vir a ser explorada mais
tarde pelo adversário.

-EVITE TROCAS DESNECESSÁRIAS

Como regra geral você só deve trocar peças:
Quando o seu adversário detém a iniciativa;
Quando você tiver uma posição restrita;
Para enfraquecer a estrutura de peões do seu oponente;
Quando você tiver vantagem material;
Para trocar uma peça passiva por uma peça ativa adversária;
Para simplificar a posição e conseguir um final mais favorável;

-BLOQUEIE SEMPRE OS PEÕES PASSADOS DO ADVERSÁRIO
Um peão passado, principalmente quando está bem defendido por peças inimigas, pode se tornar uma arma muito poderosa e por
isso deve ser bloqueado o mais rápido possível.Bloquear um peão significa conter o seu avanço colocando uma peça no seu caminho. O cavalo e o bispo são consideradas as melhores peças para fazer o bloqueio.


Última edição por Leon Mendes em Ter 08 Maio 2012, 12:58, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Re: Treino de Xadrez   Ter 08 Maio 2012, 12:45

2.Táticas e Combinações

- As peças valem em xadrez pelo que fazem e não por sua simples existência no tabuleiro. Assim como em uma batalha, ter o maior número de soldados e não poder fazê-los atuar não adianta de nada;
- Durante a combinação, o fator tempo é mais importante do que a vantagem material;
- Quando se possui desvantagem em desenvolvimento, há uma grande chance de ser atacado. Nestes casos, é sempre prudente que
priorize a simplificação a fim de que o adversário possua menos peças para atacar.
- O sacrifício de material é um dos procedimentos mais eficazes para atrasar o desenvolvimento do adversário;
- Quem ataca deve possuir vantagem em espaço no centro do tabuleiro, ou seja, deve dominar mais casas do que o adversário;
- Para atacar em um determinado setor do tabuleiro, deve-se ter mais peças atuantes neste setor do que o adversário;
- Cada peão que se avança do roque é um ponto a mais para o adversário poder atacar.
- Quando o adversário ataca por uma ala do tabuleiro, deve-se contra atacar no centro para que se possa abrir brechas a fim
de se defender, distrair as peças do adversário e poder atacar;
- A combinação não tem somente a finalidade de dar mate ao adversário, mas também de obrigá-lo a devolver o material
entregue, neutralizar seu ataque ou melhorar o próprio jogo posicional;
- Desconfie das jogadas "lógicas", pois estas jogadas podem permitir que o adversário melhore rapidamente a própria posição.
Deve-se sempre desconfiar da "primeira impressão";
- Deve-se buscar o ataque quando lhe convém e não quando o adversário estiver esperando. A paciência é fundamental para jogar
Xadrez;
- Não se deve atacar caso o centro esteja tenso ou inseguro, salvo quando há alguma compensação imediata;
- Quem ataca deve evitar a simplificação;
- Quem se defende deve evitar avançar os peões do seu próprio roque; porém somente se deve avançar estes peões quando o
número de peças adversárias atacantes é igual ou inferior ao seu número de peças defensivas e quando seus próprio peões
estejam agrupados juntamente com suas peças. Abrir a posição na ala onde se está sendo atacado nunca é bom para quem se
defende. O contra-ataque como já dito anteriormente, deve ser realizado pelo centro;
- Quem ataca normalmente utiliza o recurso de sacrifício para abrir linhas sobre o rei adversário, aumentar seu espaço de
ataque e mobilidade para suas peças.
- É muito importante conhecer pelo menos as posições básicas de mate no xadrez. Estas idéias fundamentais de mate e
combinações devem ser de seu conhecimento para que fique muito mais fácil montar o plano e realizar as manobras
intermediárias para levar à vitória.
- Para realizar combinações vitoriosas, deve-se realizar lances com energia, de ataque, para evitar que o adversário consiga
reorganizar suas peças e evitar a derrota.
- No xadrez, deve-se conhecer o máximo de detalhes possíveis para conseguir encontrar posições ganhadoras e realizar em
função dos mesmos, um plano vencedor.
- Quase todas as combinações possuem objetivos simples, porém, seu valor está nas jogadas intermediárias para atingir seu
objetivo.
- A habilidade do enxadrista está em descobrir rapidamente as possibilidades de mate; não necessariamente para executá-lo,
mas sim para tirar vantagens das mesmas.
- Deve-se explorar as peças adversárias imobilizadas que muitas vezes se transformam em peças sobrecarregadas (peças que
desempenham mais de uma função simultaneamente).

A CRAVADA

- Em regra, a cravada ocorre apenas em momentos táticos como forma de espantar peças inimigas.
- É muito comum jogar para ganhar a peça cravada.
- Toda peça imóvel ou retringida se torna uma fraqueza. Sempre devemos nos preocupar em não deixar a peça cravada se tornar
móvel novamente.
- “ The Question” significa questionar! Esta expressão é usada por exemplo quando o bispo branco está em g5, cravando o
cavalo de f6 e a jogada h6 é realizada. Esta jogada seguida de g5 deve ser jogada somente se a compensação vier imediatamente
como a isolação do bispo adversário. Esta seqüência é desorganizadora e portanto muito perigosa para quem a joga.
- Nunca jogue esta seqüência se o centro pode ser aberto!!
- As manobras que costumam perder tempo só podem ser realizadas se o centro estiver fechado, cerrado!



Última edição por Leon Mendes em Ter 08 Maio 2012, 12:57, editado 3 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Re: Treino de Xadrez   Ter 08 Maio 2012, 12:51

3.Médio Jogo no Xadrez



O CENTRO E O DESENVOLVIMENTO

- Por desenvolvimento entende-se por estudar como avançar suas peças corretamente.
- Um movimento de peão não deve ser chamado por si só como um lance de desenvolvimento mas merece ser chamado de apoio ao desenvolvimento.
- Sempre pensar em ficar à frente no desenvolvimento.
- Realizar sempre trocas com ganho de tempo!
- Sempre procurar trocar uma peça sua que se movimentou menos vezes por uma peça adversária que se movimentou mais vezes.
- Liquidar algumas peças e peões com conseqüente desenvolvimento ou liberdade de ação (desembaraço).
- Uma troca apropriada fornece uma excelente arma e compõe a base conceitual abaixo:

1) Troca com conseqüente ganho de tempo.
2) Trocas com conseqüente liberdade de ação ou desenvolvimento.

-Nunca trocar peças sem motivo / cegamente - tudo tem um porquê!
- Um centro móvel é uma grande arma de ataque!
- Um avanço de peões centrais faz com que as peças adversárias recuem e percam espaço.
- Nunca deixar o adversário com um centro móvel de peões.
- Caçar peões na abertura: apenas é bom caso os peões sejam centrais.
- Apenas caçar peões após concluir seu desenvolvimento!

SIMPLIFICAÇÃO

Já vi muita gente reclamar de jogadores que simplificam uma posição certos de que a vitória chegará facilmente em vez de
forçar a posição e vencer com um lindo tático ou sacrifício inesperado!Na minha humilde opinião, para jogadores de torneios, creio que o mais correto é realmente simplificar a posição e levar para um final vencedor. Como está escrito no livro do Grau (Tratado General de Ajedrez - Vol IV) deixe os lances bonitos para os GM de primeira categoria pois sair deste mundo convencional, onde as regras são 90% válidas pode ser um caminho sem volta!Para poder fazer lances brilhantes como os de Mikhail Tal ou Fischer, creio que são necessários 3 pré-requisitos:

- Aprender a calcular corretamente!
- Saber administrar o tempo no relógio!
- Saber administrar a sua energia e seu cansaço! (pois na maioria dos torneios hj temos mais de 1 rodada por dia e o cansaço
realmente nos desgasta muito).

TROCA DE PEÇAS

- A troca de peças sempre alivia o lado defensivo, pois seu espaço aumenta.
- Quem ataca deve evitar a troca de peças!
- Devemos trocar peças somente nos seguintes casos:
· trocas com conseguinte ganho de tempo.
· trocamos as peças em vez de retrocedê-las.
· trocamos as peças ao invés de perder tempo fazendo lances defensivos - troca de peças com subseqüente liberdade de ação ou
desenvolvimento.
· troca para ganhar tempo em abrir uma coluna.
· eliminar as peças defensivas adversárias através das trocas.
- Se você possuir vantagem material, troque peças, não peões.
- Trocar a fim de desestruturar a posição adversária.

CONCEITOS ESTRATÉGICOS

- Para se tornar um mestre de xadrez você deve conduzir seu jogo de acordo com o um plano bem elaborado.
- O conjunto de conceitos dos planos estratégicos se chama estratégia.
- A estratégia é a mesma na ciência, guerra, política, etc.
- No xadrez, controlar uma coluna, enfraquecer a estrutura de peões inimigas, criar um peão passado, tudo isto faz parte da estratégia.
- O plano no xadrez além de estar correto, deve ser conduzido corretamente. O método como se conduz o plano estratégico se chama tática = combinação e realização de sacrifícios, ataques duplos, cravadas, xeques, etc.


ESTRUTURAS DE PEÕES

Os avanços de peões são as debilidades necessárias no xadrez. Cada vez que se avança um peão, a casa lateral do mesmo passa a se tornar débil por falta de proteção de um peão e se torna um ponto forte para o adversário. Porém, os avanços de peões são necessários e assim como na vida, não se consegue nada sem correr riscos.

Os peões que formam o tema geral da partida. O jogador que analisar corretamente a conformação de peões, conseguirá chegar a um plano estratégico claro para sua partida.

Os pontos fortes devem ser ocupados por peças e não por peões.

A debilidade dos peões isolados aumenta a medida que são avançados, pois seu sustento se torna cada vez mais difícil.

As peças valem segundo a estrutura de peões.
Se por exemplo obtivermos uma configuração de peões h2-g3-f2, devemos manter o bispo em g2 pois sua ausência deixará as casas f3 e h3 sem proteção.

Algumas estruturas:



Problemas: casas sem proteção: b3, c4, d5, f5, g4



Problemas: casas sem proteção: b3, f4

Formações de peões típicas:

Boas formações:







Formações aceitáveis:









Formações ruins/péssimas:









Última edição por Leon Mendes em Ter 08 Maio 2012, 19:54, editado 4 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Re: Treino de Xadrez   Ter 08 Maio 2012, 12:55

CADEIA DE PEÕES

- Quando nos deparamos com uma cadeia de peões adversária, devemos desestabilizá-la atacando a base da estrutura, e não o topo da mesma.
- O avanço de peões centrais a fim de cerrar o centro, possui 2 objetivos:
· restringir os peões adversários;
· travar a posição para atacar nas alas e evitar contra-ataques centrais;

Na estrutura de peões também devemos trocar um bloqueador fraco por um bloqueador mais forte.

- Algumas regras importantes:
· A base inimiga, fixada em um lugar, deverá ser atacada por várias peças.
· Devemos manter a pressão na base inimiga o máximo de tempo possível até encontrarmos outra debilidade inimiga que mais cedo ou mais tarde aparecerá.
· Quando isto ocorre, devemos deixar o ataque à base inimiga de lado e atacarmos com energia a nova fraqueza e mais tarde a base inimiga volta a ser nosso objetivo de ataque.
· Quando o adversário ataca nossa base, devemos contra atacar a base inimiga!
- Durante o meio-jogo, conseguimos abalar a base da estrutura de peões adversária, mas é no final que realmente conseguimos acabar com a base inimiga e conquistar nosso objetivo.
- Analisar cuidadosamente as bases possíveis de ataque e conforme for, podemos mudar a base a ser atacada, caso esta seja mais frágil.

CONCEPÇÃO DO JOGO POSICIONAL E O PROBLEMA DO CENTRO

- O jogo posicional é composto de lances que tornam a posição segura e não somente de lances agressivos e de ataque. Lances que deixam nossa peças em contato com pontos estratégicos. (nossos ou do adversário).
- Ataques prematuros nas alas devem ser punidos com contra-ataque no centro.
- Não pense sempre em atacar, pense também em manter seu jogo seguro.
- Devemos acumular vantagens no meio-jogo e explorá-las nos finais!
- Suas peças devem estar organizadas de forma a evitar lances de libertação do adversário.
- Nos pontos importantes devemos defender mais do que possa ser atacado. (THE OVER PROTECTION) - a recompensa para estas peças será sua liberdade de ação e boa posição.
- Normalmente os pontos importantes estão no centro, pois este sempre está sob fogo cruzado, peões passados, fortes casas de bloqueio.
- Pontos fracos não devem ser protegidos a não ser que este ponto seja base para um ponto forte.
- O jogador que joga pelo centro sempre obtem melhores perspectivas do que um jogador que joga pelas alas.
- Ataque nas alas - contra-ataque no centro.
- Para atacar nas alas, na maioria das vezes as torres também devem participar do ataque, senão estas ficam na defensiva atrapalhando o próprio ataque.
- O centro consiste nas 4 casas centrais, não peões, pois algumas vezes temos apenas peças e não peões dominando o centro.
- Para atacar nas alas, antes o centro deve estar dominado e seguro.
- Se dominarmos o centro, teremos possibilidade de atacar / escolher uma das alas.
- O controle do centro não depende apenas de peões e sim de outros fatores e de sua efetividade no centro.
- Obstrução = é o lado negro da sua ocupação (peões).

A SUPER-PROTEÇÃO

- O contato entre o pontos fortes e os super-protetores proporciona vantagens para ambos:

Para o ponto forte, porque a profilaxia induzida por um procedimento deste tipo concede a maior segurança contra um possível ataque.
Para a peça super-protetora porque a casa em si lhe serve de uma fonte de energia, na qual pode de forma contínua extrair sua força.
A super-proteção constitui-se em uma manobra que por si mesma está estreitamente vinculada ao jogo posicional!
Devemos analisar e determinar quais são os pontos estratégicos importantes e devemos super-protegê-los pois caso o adversário conseguir ocupá-lo deverá obter decisiva vantagem posicional!

MANOBRANDO CONTRA A DEBILIDADE INIMIGA

- Devemos primeiramente obter maior liberdade de movimento para nossas peças!
- Manobrar a fim de explorar as debilidades inimigas, deixando o adversário restringido e com debilidades insustentáveis.
- O planejamento é fundamental para este tipo de ação! A estratégia aqui é a base da operação!
- Sempre tenha um plano "B" em mente!
- Atue em uma das alas, na qual há alguma debilidade evidente e depois force o adversário para que se preocupe com a outra ala, afim de manobrar contra 2 ou mais debilidades e forçar o adversário a dividir suas forças!


CARÁTER DA POSIÇÃO E ESCOLHA DO PLANO CORRETO

Hoje passarei um pouco mais sobre jogo posicional:

- Devemos compreender a posição e baseado nisto, devemos escolher um plano estrategicamente correto.
- Para julgar corretamente, devemos observar atentamente:

1) A relação material – isto é, a igualdade ou superioridade material no tabuleiro.
2) O poder individual entre as peças.
3) A qualidade individual dos peões.
4) A posição dos peões, isto é, a estrutura de peões.
5) A posição dos reis.
6) A cooperação entre peças e peões.

Alguns dos fatores que determinam o caráter da posição são duradouros, outros são temporários.

- Um importante fator duradouro é a qualidade e a estrutura de peões pois sua movimentação é lenta e gradual.
- A posição dos reis também é um fator duradouro.
- A posição das peças é chamado de fator dinâmico.
- Um plano B sempre deve ser guardado na manga, para o caso de uma mudança brusca na posição acontecer. Às vezes até uma pequena mudança na posição necessita de uma mudança de plano.

O EQUILÍBRIO DA POSIÇÃO E SEU DISTÚRBIO

- Devemos analisar a prosperidade da posição para ambos os lados.Tal análise é muito importante para calcularmos particulares séries de movimentos.É claro que devemos manobrar a fim de conseguir uma posição melhor para nossas peças e portanto a avaliação é muito importante.
- Logicamente se a prosperidade da posição é a mesma para ambos os lados então dizemos que a posição está igual.
- A vantagem das brancas de saírem com o lance inicial pode ser neutralizado pelas negras entre o 12º e o 20º lance. Porém a vantagem das brancas se dá em que qualquer descuido por parte das negras, as brancas ganhem vantagem considerável (tempo, vantagem em espaço, etc.)
- A fim de forçar alguma vantagem, você deve criar estratégias e problemas táticos para o adversário.
- O princípio bem conhecido da ciência e da guerra diz que para executarmos um ataque bem sucedido, temos que ter mais peças atacando do que peças defensivas do adversário. Este conceito também é aplicado no Xadrez.
- Não ataque se você estiver mais fraco (desvantagem posicional, material). Caso contrário você sofrerá desvantagem decisiva.
- Para conduzir um ataque, devemos ter peças mais ativas, vantagem em espaço, peões móveis, ou pontos fracos na posição inimiga.
- Uma vantagem estratégica (desequilíbrio de forças) não leva sempre à vitória, pois há finais salvadores para o lado mais fraco. Esta é uma das dicas que leva sempre aos jogadores que querem progredir a estudar finais!
- A iniciativa é o primeiro passo para um ataque.Muitas vezes se sacrifica um peão a fim de conseguir a iniciativa.

COLUNAS ABERTAS

-Um dos principais objetivos de se obter colunas abertas é conseguir alocar as torres nas 7a e 8a fileiras.
- Não há diferença jogar contra uma peça ou contra um ponto.
- Atacando um peão, deve-se deixar primeiramente este imóvel, assim como suas peças de ataque.
- Tentar centralizar ao máximo suas peças e assim quando o adversário se sentir forçado a trocar suas peças, vc terá a chance de abrir colunas para o ataque.
- Todo peão próprio é uma obstrução para suas torres.
- Ao centralizar suas peças, cuidar para que não deixe que haja um centro de peões móveis adversário que ataque suas peças.
- Nunca se descuidar! Depois que desenvolver suas peças não descuidar e fazer lances inócuos, fracos, sem iniciativa!
- Peças podem obstruir colunas abertas onde podem estar suas torres, porém cavalos e bispos são móveis, peões não!
- Tentar sempre capturar peças defensivas do adversário e assim diminuir suas chances defensivas.
- Nunca cerrar a ala onde você está atacando! Nunca travar a posição nesta situação!
- Cerrar ao máximo a ala onde se está sendo atacado!
- Se seu adversário possuir uma defesa débil, você deverá, após se certificar que as linhas de ataque são seguras, invadir a 7a e 8a fileiras e você não raramente será recompensado por uma chance de capturar peças ou por um ataque envolvente!
- Caso você se depare com uma formação compacta de peões, o ideal antes de atacar com peças maiores é minar, debilitar a estrutura adversária através de avanços de peões e os desconectar.
-O peão deve ser considerado como uma grande defesa!
- Se o peão estiver isolado dos outros “companheiros”, será mais fácil de abatê-lo.
- Em vez de atacar os peões, devemos concentrar nossas forças em atacar a defesa dos peões e peças! Isto se dá:

· Fazendo a defesa retroceder.
· Trocando as peças defensivas do adversário.
· Atacando puramente a defesa.

- Muitas vezes utilizamos uma coluna apenas para passar as torres para outra coluna em que o ataque será melhor aproveitado -Exploração indireta da coluna!
- Base de apoio, raio de ação para ataque:
- De forma geral, um cavalo é a melhor peça, juntamente com o bispo para colocar no centro em uma base de apoio, pois seu raio de ação aumenta consideravelmente.
- Nos flancos, as torres são as melhores peças para alocar em uma base de apoio.
- Bases de apoios avançados são bases para novos ataques!
- Peças colocadas em bases de apoio provocam fraquezas na estrutura adversária pois os avanços de peões a fim de expulsar as suas peças das bases fazem com que surjam fraquezas estruturais no campo adversário.
- Lembre-se que uma estrutura débil numa determinada posição pode deixar de ser débil com a diferença de 1 peão.
- Transferência de vantagem = o mais importante ensinamento:Ex: Um peão muito avançado que incomoda o adversário pode ser trocado e com isso pode-se abrir uma coluna que pode ser utilizada por uma torre.

7a e 8a FILEIRAS :

- Sempre deve-se ter um plano em mente!
- Nunca jogue sem um plano determinado.
- Nunca troque de plano toda hora sem algum objetivo concreto pois isto te levará a perder por falta de objetivo.
- Quando temos um plano de ataque, temos que convergir todas as nossas peças para determinado ponto.
- As torres sempre devem atacar os peões por detrás deles e nunca pelas laterais (fileiras).
- As torres devem permanecer na 7a horizontal o máximo de tempo possível a não ser que um plano bem claro as force a saírem desta fileira.
- O Rei que está sob ataque das torres adversárias na 7a fileira deve sempre buscar os cantos do tabuleiro.

AS PEÇAS MENORES (BISPOS)

- O bispo, para poder trabalhar com total ação, deve se posicionar em diagonais abertas. Nesta condição, seu longo poder de alcance demonstra sua força.
- Um bispo bem posicionado é um fator estratégico muito importante.
- O bispo não pode ficar limitado (movimentos) por seus próprios peões (bispo mau)
- O bispo quando se posiciona em g2 (normalmente na abertura) determina todo o caráter da posição.
- Seus peões devem estar em casas de diferente cor das casas por onde seu bispo se movimenta. Logicamente isto se dá para os casos em que os peões estejam imóveis.
- Sempre devemos nos livrar dos bispos maus.
- Bispos de cores opostas são passíveis de empate quando não existirem outras peças no tabuleiro.
- Par de Bispos:

Obter o par de bispos é obter vantagem decisiva!

Todas as casas são controladas quando se possui o par de bispos e seu poder em posição aberta se torna notável.

- Não é o valor intrínseco do par de bispos que realmente importa. O que mais importa é que se torna fácil escolher trocar um dos seus bispos por uma peça inimiga ativa. Geralmente o lado que possui o par de bispos está numa posição muito melhor, o que favorece a trocar com mais vantagem do que o lado que possui 2 outras peças menores.
- O plano estratégico elaborado por Steinitz para o lado que possui o par de bispos consiste em:

1) corretos avanços de peões a fim de privar os cavalos adversários de suas efetivas bases de operações;

2) Pressionar os cavalos para posições desfavoráveis;

3) Explorar a posição restringida dos cavalos e romper a posição no momento certo.

- Sob proteção do par de bispos, o Rei geralmente encontra facilidade em se dirigir para o centro. O Rei adversário pelo contrário, se torna restringido e longe do centro.

AS PEÇAS MENORES (CAVALOS)

- Para seu poder de ação ser máximo, o cavalo necessita de uma base de operação. Se entende por isto uma casa em que o cavalo é protegido de ataques por outras peças e principalmente por peões, além de exercer forte domínio central)
- Um cavalo centralizado pode exercer a mesma influência (força) de uma torre.
- Um cavalo mal posicionado é uma desvantagem quase permanente pois perderá muito tempo para voltar ao campo central.

A LUTA DE BISPO CONTRA CAVALO

- A superioridade de um em relação ao outro se dá principalmente em função da estrutura de peões.
- O bispo é melhores em posições abertas e peões móveis e quando ataca peões bloqueados de casas de mesma cor do mesmo.
- O cavalo por outro lado é melhor em posições fechadas, onde seu movimento peculiar o possibilita a encontrar pontos de ataque proibidos pelos movimentos dos bispos (cada bispo se movimenta somente por casas de uma cor). Obviamente isto requer bases de operações para os cavalos, os quais são importantes para atacar pontos fracos e defender pontos estratégicos importantes.
- Numa luta pura de cavalo contra bispo, o lado que possui o bispo deve se esforçar para manter os seus peões móveis e deixar os peões em cores opostar a de seu movimento. O lado do oponente obviamente deve fazer o contrário.
- O lado que possui cavalo deve esforçar-se para deixar seus peões nas casas de cor diferente da cor do bispo adversário, fazendo assim que os peões adversários fiquem em casas de mesma cor do bispo.
- Se você estiver superior na posição (bispo vs cavalo), evite trocar as torres até que as Damas seja trocadas e assim esta estratégia o deixará em um final superior.

AS TORRES

- As torres precisam de preparação para entrar no jogo!
As torres precisam de colunas sem peões, especialmente sem os próprios peões. Estas colunas podem surgir de diferentes maneiras:

• simples trocas entre peões, especialmente no centro.
• trocas de peças protegidas por peões.
• avanços de peões contra a estrutura de peões adversária.

- Colunas abertas como um fator de ataque contra o rei adversário.
- Muitas vezes a posição ideal é posicionar a torre na frente da Dama numa coluna aberta, onde a torre expulsa o rei da 8ª fileira, enquanto a Dama vigia as casas de fuga do mesmo.
- Uma das grandes metas das torres, é ocupar a 7ª e 8ª fileiras.
- A torre e a dama na 7ª fileira restringe a posição inimiga ou força o ganho de peões.
- Na 8ª fileira quem sofre é o rei com inúmeras combinações de ataques.
- As torres podem jogar ativamente também na frente dos peões.
- Quando ambos os lados roçam para o mesmo lado, a torre ajuda a abrir colunas contra o roque adversário. O problema é que normalmente esta manobra enfraquece seu próprio roque, enquanto que abrir uma coluna sem avançar os peões é praticamente impossível. Estes são os casos em que é útil colocar as torres na frente dos próprios peões.
- Lembrar que todo avanço de peão diminui suas perspectivas para o final.
- Em posições fechadas, os jogadores devem se esforçar para deixar os peões nas casas iniciais.

A DAMA E COMO JOGAR COM AS PEÇAS MENORES

- A Dama possui grande mobilidade e é uma ótima peça para atacar diretamente as fraquezas da posição inimiga.
- A Dama pode se mover facilmente de uma ala para outra mesmo se a posição estiver bloqueada.
- A Dama pode ajudar as torres a ocupar colunas e os bispos a ocupar diagonais. Na troca destas peças, a Dama pode substituí-los em suas funções completamente.
- Os bispos fianchetados devem ser trocados somente se as Damas não estiverem no tabuleiro, pois a formação de fiancheto sem o bispo se torna uma grande debilidade facilmente explorável pela Dama.
- A Dama quando ativa, pode reverter um jogo aparentemente perdido e pode forçar um jogo empatado. A Dama é uma peça valiosa no ataque a pontos débeis e ameaças de mate!

O REI

- O Rei nos finais exerce grande parte da sua força, pois o perigo de tomar mate é bem menor, já que existem menos peças de grande força no tabuleiro.
- Conduzir o rei é uma das mais importantes estratégias do xadrez.
- O roque não somente protege o Rei, como também determina todo o plano estratégico de ambas as partes.
- Quando os lados rocam em lados opostos, a luta se torna muito aguda, então aconselha-se ao lado atrasado em desenvolvimento esperar o adversário rocar e só então rocar para o mesmo lado do adversário.
- Quando se faz o roque grande, perde-se um tempo deslocando o rei para a casa segura b1 (ou b8 para as negras).
- O ataque ao rei adversário faz parte do plano estratégico. Devemos forçar o rei adversário rocar para o lado mais perigoso possível.
- Quando estamos com ataque em uma ala e queremos romper a ala oposta, devemos evitar recuar as nossas peças para defender pontos nesta ala pois assim diminuiremos nosso ataque na ala predominante; caso o rei possa defender estes pontos em segurança, devemos então fazê-lo.
- Às vezes, mesmo com peões muito avançados e ataques preparados em uma determinada ala nos permite rocar para a mesma ala, desde que o rei não fique desprotegido!
- Quando o rei está mais próximo do centro no meio-jogo, pode-se trocar o máximo possível de peças e então explorar as debilidades adversárias no final.
- Sempre evite que o adversário tome a iniciativa!
- Devemos sempre travar a ala onde o adversário está tentando atacar!
- Sempre que possível devemos deixar o Rei adve
rsário exposto ao máximo! Force o adversário a rocar para o lado menos seguro, sempre!

Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarLeon Mendes

Idade : 42
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Re: Treino de Xadrez   Ter 08 Maio 2012, 20:07

4.Peões


-Os peões caracterizam em grande parte a posição.
-Eles são mais adequados para cobrir pontos e defender as outras peças. São melhores para bloquear o avanço de um peão adversário. Os peões podem privar as peças inimigas de suas melhores casas
-Quando se tem uma maioria de peões e deseja-se criar um peão passado então deve-se avançar primeiro o peão que não possui inimigo na mesma coluna .
-Quanto menor a maioria de peões, mais rápido o peão passado se formará; ex: 2x1 é mais rápido do que 3x2.
-O peão passado no final é de muito importante, pois com menos peças no tabuleiro, se torna mais fácil de promover. No entanto, no meio-jogo o peão passado também é muito importante pois as peças adversárias devem estar sempre em vigilância e podemos atacar na ala contrária, onde há menos vigilância.

O PEÃO PASSADO

Regra: todo saudável, descompromissado bloco de maioria de peões deve ser propício de gerar um peão passado.
- O peão sem obstáculo a sua frente deve avançar e se tornar um peão passado. Os outros devem apenas dar suporte a este peão.
- O peão passado deve ser considerado como um criminoso que deve ser parado e preso.
- Medidas brandas não são suficientes.
- O peão passado deseja avançar!
- A atenção deve ser dada nas costas dos peões.
- O avanço do peão passado pode fazer com que deixe a casa onde estava para o cavalo - manobra muito freqüente - mesmo custando o sacrifico do candidato a peão passado!
- A casa cedida pode ser ocupada por qualquer peça sua mas o mais comum e eficiente é o cavalo.
- No xadrez, o otimismo é decisivo!!
- Otimismo em conseguir aumentar pequenas vantagens, em sair de posições inferiores!
- Quando se bloqueia com peão passado, a peça que está bloqueando o peão está protegida por este de ataques frontais.
- A casa logo a frente do peão passado é uma casa fraca para o lado que possui o peão passado.
- Bloquear os peões adversários fazem com que as peças inimigas que estão atrás dos peões fiquem restringidas!
- Bloquear peões não restringe apenas os peões mas sim as outras peças adversárias.
- O bloqueio deve ser feito o quanto antes, o mais rápido possível. O efeito do bloqueio se espalha por todo o tabuleiro.
- Exercendo o bloqueio a peça tende a ficar imóvel!!

Porém a peça possui sua vitalidade:

· as ameaças que a peça exerce;
· a elasticidade que possui a peça - se você tiver certeza do retorno rápido à casa de bloqueio caso a peça tenha que sair de seu posto;
· se a peça sair da casa de bloqueio, deve deixar um substituto em seu lugar. Este substituto deve ser escolhido entre as peças que protegem o bloqueador anterior.

- A elasticidade do bloqueador depende da sua força.
- Quanto mais avançado está o peão, mais insignificante é a mobilidade / flexibilidade do bloqueador.
- As forças para manter o bloqueador devem ser desenvolvidas de forma sistemática e com objetivo proposto, senão a elasticidade não virá por si só, sem objetivo!
- O efeito de bloqueio aumenta muito com o apoio das outras peças que devem estar posicionadas em segurança!
- A força do bloqueador se dá mais pela estratégia conexão entre ele e o seu apoio. O bloqueador que possui insuficiente proteção não estará apto de se fixar contra as peças inimigas que a estão pressionando. Ela será expulsa e ficará fora de jogo e o peão avançará!
- A casa na frente do peão passado (casa de bloqueio) é estrategicamente importante e portanto sabiamente devemos protege-La (dominar) mais do que necessário. Então não devemos esperar os ataques adversários para dominar esta casa.
- A escolha da peça bloqueadora deve ser feita priorizando sua segurança em seu suporte e não priorizando a sua elasticidade e poder de ataque.
- A dama é sempre uma péssima bloqueadora.
- O rei só é um bom bloqueador nos finais!
A diferença é que nos finais, mesmo expulsando o rei de sua posição bloqueadora, este pode voltar a bloquear em outra casa (uma casa atrás).
- A luta contra um bloqueador:
Devemos concentrar as peças para tentar retirar a peça bloqueadora adversária do seu posto.
Para evitar chegar num final com o adversário sólido em seu bloqueio, devemos no meio jogo eliminar as bases de apoio (suportes) do bloqueador adversário.
Regra: tente trocar as peças adversárias que apóiam a peça bloqueadora. Devemos trocar a peça bloqueadora por outra menos eficaz para podermos expulsá-la e assim avançar o peão passado.
- Num final, mesmo com maioria de peões, o rei deve avançar ao máximo e tentar atacar os peões adversários!! E não ficar atrás dos peões e apenas avança-los. O rei deve ficar na frente dos peões!!
- O rei no meio-jogo é totalmente diferente dos rei dos finais!
- Sempre lembrar da oposição quando entrar nos finais e sempre procurar possuí-la.
- Dois peões passados unidos: um ao lado do outro é a posição ideal! Devemos avançar estes peões (tirar da posição ideal) somente se for impossível o bloqueio destes pelo adversário. Se o avanço for na hora certa, o bloqueador será fraco e o outro peão deverá avançar o mais rápido possível a fim de atingir a posição ideal!
- Devemos sempre proteger o nosso peão passado.
- No final: avance o rei ao máximo possível.
- Utilize o Zugzwang como arma para deixar o rei adversário sem as casas fundamentais de defesa.
- Quando devemos avançar os peões passados?

· Quando o avanço leva o peão passado perto do seu objetivo (isto será apenas quando o bloqueador é fraco)
· Quando o avanço do peão passado ganha valor e será mais uma peça para proteger pontos importantes.
· Quando o avanço do peão deixa a casa para outra peça bem colocada, em particular o Rei para poder atacar os peões inimigos.
· Quando deixamos o peão em sacrifício de deixar o rei adversário fora de jogo. - Nunca jogar sem bom-senso em relação a esta questão.

- Num final, se a posição está superior, fazer com que ela fique a mais vantajosa possível antes de fazer o lance crucial (ex: sacrifício de peão, troca de peça, etc)
- Quando o adversário mover uma peça, você deve verificar quais casas esta peça atingia e verificar se há possibilidade de alguma peça sua mover para alguma destas casas. - Esta análise sempre deve ser feita quando se ataca!!

O bloqueio do peão passado é importante, pois:

- Previne o avanço do peão passado;
- A peça bloqueadora se protege de ataques frontais e portanto exerce forte pressão, especialmente se o peão passado for central;
- O Rei é um forte bloqueador; (Somente no Final)
- O Cavalo é a melhor peça para bloquear um peão passado. Mesmo bloqueado o peão passado, pode exercer seu máximo poder de ação;
- Dama e Torre são péssimos bloqueadores pois seus poderes de ação se reduzem consideravelmente;

A manobra para expulsar a peça bloqueadora do peão passado consiste em:
- Ataque direto a peça bloqueadora, expulsando-a;
- Atacar a outra ala do tabuleiro, a fim de desviar a peça bloqueadora de sua função;
- Trocando a peça bloqueadora através de sua captura.

Os tipos de Peão Passado:

Considera-se 03 tipos de peão passado. São eles:

- Peão Passado Distante;
- Peão Passado Protegido;
- Peões Passados Unidos.

- O peão passado distante é uma ferramenta muito utilizada em finais. Durante o meio-jogo, porém, se torna muito mais difícil de explorar o peão passado . Uma idéia válida para explorar o peão passado durante o meio-jogo é forçar o adversário trazer suas peças para sua ala a fim de evitar seu avanço e ao mesmo tempo atacar a ala desprotegida pelo adversário.
- Peão passado protegido: Este pode esperar e avançar em um momento mais apropriado. Seu grande trunfo é a impossibilidade de ser capturado pelo rei adversário no Final.
Sua vantagem é ser uma constante ameaça, podendo ser avançar a qualquer hora.
- Seu calcanhar de Aquiles é ser bloqueado principalmente por um cavalo. Sua ameaça potencial fica prejudicada.
- Peões passados unidos: O mais valioso dos três tipos! Suas proteções mútuas e avanços unidos são graves obstáculos para qualquer peça que pretenda bloquear seus avanços, portanto não é surpresa que algumas vezes sua formação a custa de material seja suficiente para decidir o jogo.

Durante a fase final do jogo, seu potencial cresce absurdamente, porém no meio-jogo sua força ainda é considerável. Quanto mais peças forem trocadas, melhor! O objetivo trocar o maior número de peças e entrar no final com essa formação de peões.
No caso de peões passados unidos, sua melhor formação é estarem posicionados um ao lado do outro, na mesma horizontal.
Para bloquear os peões passados unidos, deve-se dar preferência para bloquear o peão mais atrasado, pois o priva de avançar, evitando assim a força máximo desta estrutura de peões.

O PEÃO DOBRADO / RESTRINGINDO A POSIÇÃO

- Devemos saber diferenciar a ativa e passiva fraqueza dos peões dobrados.
- A estrutura de peões que possui peões dobrados possui uma fraqueza permanente que aparece quando avançamos esta estrutura de peões = fraqueza dinâmica.
- A força destes peões e desta estrutura se dá quando deixamos esta estrutura estática, sem avanços!

- Quando os peões dobrados não podem avançar (falta de apoio) - fraqueza passiva, então um avanço contra os peões dobrados é indicado. Mesmo que os peões se desdobrem, um mal maior nunca é evitado (domínio de coluna, ataque, iniciativa, etc.) Primeiramente devemos incitar o avanço dos peões dobrados adversários = ganho mais fácil.
- A massa de peões dobrados deve ser incitada ao avanço para depois podermos “colocar em questão” os peões dobrados.
Esta massa de peões quando estática, se torna muito forte, por isso devemos provocar seu avanço (fraqueza dinâmica)

- A grande fraqueza dos peões dobrados é o peão isolado que fica ilhado no tabuleiro, alvo fácil de ataque.
- Avançamos um de nossos peões dobrados quando temos a oportunidade de trocá-lo.

- Os lances "misteriosos" das Torres:
Às vezes, devemos jogar as torres em colunas fechadas, prevendo a ação adversária de num futuro próximo abrir a coluna e assim, ativarmos nossas torres.
- Logicamente, devemos analisar sabiamente se a coluna irá se abrir ou não, pois o lance pode muito bem se transformar numa perda de tempo e pior, pode se estar executando um plano perdedor;
Este tipo de lance de torre na maioria das vezes é para dificultar lance de libertação do adversário.
-Conceito: Um lance de abertura da posição, se suas peças não estiverem desenvolvidas, não é considerado um lance de liberação e sim um tempo a mais para o seu adversário abrir ataque contra você e principalmente deixar as peças dele mais livres.
-Não deixe a maioria de peões centrais de seu adversário avançar muito pois o efeito pode ser devastador.
-A maioria de peões é mais valiosa se for avançada em direção à base inimiga, pois logo linhas de ataque serão abertas e a exploração naquele setor será mais promissora.
- O processo para atacar um centro de peões adversário é:
Retrair-Bloquear-Destruir

PEÃO ISOLADO

- O peão em geral, quando isolado se torna fraco e muitas vezes força as peças defensoras a uma posição restringida

Abaixo segue um diagrama padrão e os planos diretrizes tanto para as brancas quanto para as negras:

-> Brancas:
- Evitar muitas simplificações, pois o peão isolado é quase sempre uma séria desvantagem no final.
- As peças devem ser posicionadas de forma a ter o avanço a d5 como opção em algum momento mais apropriado ou de forma que deixem as negras restringidas de forma a impedir tal avanço.
- Devem ocupar a casa e5 com um Cavalo e atacar na ala do rei ou ocupar a casa c5 e operar pela coluna "c".

-> Negras:
- O avanço do peão isolado deve ser evitado; esta operação pode ser realizada posicionando um Cavalo ou Bispo na casa d5 (bloqueando o peão d5).
- As peças devem ser posicionadas de modo a atacar o peão isolado, fazendo com que as peças brancas fiquem restringidas defendendo o peão isolado.
- Devem buscar a simplificação a fim de entrarem em um final superior.

PEÃO ATRASADO

O peão atrasado é todo aquele que se está localizado em fileiras (linhas) atrás dos peões ao seu lado e que não pode ser defendido pelos mesmos.

O peão atrasado é uma grande debilidade a ser explorada na fase final do jogo e seu avanço deve ser evitado a todo custo pelo adversário.

Defender o peão atrasado faz com que suas peças se tornem passivas.

Normalmente quem possui o peão atrasado, deixa o adversário com vantagem em espaço.

Algumas vezes o peão atrasado traz alguns benfícios em determinadas situações, como:
- bloqueio de coluna aberta;
- impedir troca de peças;
- impedir penetração de peças inimigas.

A ameaça de avanço do peão atrasado faz com que as peças adversárias fiquem sempre de vigia para evitar tal avanço.

Caso o peão atrasado não seja uma fraqueza, então deve-se seguir as regras a seguir:
- O peão atrasado deve ser protegido com o mínimo de peças possíveis;
- Suas peças devem exercer controle efetivo nas casas a frente do peão atrasado.

Deve-se tentar avançar o peão atrasado a todo custo!
Ultima dica para quem possui o peão isolado:
Evitar a troca de Damas para não perder as encaramuças táticas que existem no meio-jogo!

O PAR DE PEÕES ISOLADOS (ILHA)

Na prática devemos jogar de forma que nossa posição possa ser enfraquecida em favor de um plano concreto e bem executado de forma que essa fraqueza seja dificilmente explorada pelo adversário.

O par de peões, quando alinhados, possuem grande força dinâminca, pois seu avanço pode restringir as peças adversárias, iniciar um ataque ou criar um peão passado.

Abaixo segue um exemplo simples da posição de par de peões alinhados:



Plano para as Brancas:
- Deve-se posicionar suas peças de forma a criar um forte peão passado, avancando um dos peões;
- Pode-se colocar um cavalo em e5 e preparar um ataque na ala do rei com o apoio do avanço f4-f5, abrindo a coluna "F" e automaticamente deixar o peão "d" passado. Caso a troca deixe o peão adversário em "e6", este se torna fraco pois está isolado;
- Pode-se jogar a4-a5 a fim de deixar o peão "c" passado e então atacar o peão de a7. A troca também poderia deixar o peão adversário em b6 isolado e fraco.

Plano para as Negras:
- Pode-se montar o plano Bg7, Bb7, Cf6, tentando evitar o avanço dos peões suspensos. Caso os mesmos consigam avançar, as negras devem preparar o bloqueio do futuro peão passado;
- No momento apropriado, deve-se lançar um ataque sobre os peões suspensos e forçar o adversário a restringir suas peças para defendê-los;
- Pode-se jogar e5 ou b5 e se houver trocas, as brancas ficarão com um peão isolado. Caso houver avanço de um dos peões brancos, bloqueá-lo e atacar sua base, ou seja, o outro peão que se tornou atrasado e fraco.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado


MensagemAssunto: Re: Treino de Xadrez   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Treino de Xadrez

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Tabuleiro Social :: Discussões & Debates :: Academia do Fórum :: Geral-