InícioInícioTorneios de Xadrez OnlineDownloadsJogarRegistrar-seBuscarConectar-se

Compartilhe | 
 

 Princípios básicos de Abertura

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
avatarLeon Mendes

Idade : 41
Posts : 3334
Agradecido : 370
Cadastrado : 02/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Princípios básicos de Abertura   Sab 26 Nov 2011, 14:40

As aberturas regem-se por alguns princípios da estratégia: o domínio do centro do tabuleiro, a coordenação das peças, e o ataque a pontos vulneráveis. Além disso, as aberturas visam a criação de oportunidades táticas para os jogadores. Em alguns casos as aberturas também servem para paralisar o jogo, anulando a força de um jogador tático, por exemplo. De qualquer forma, quando jogar uma abertura, devem-se:


1. fazer poucos lances de peão, um ou dois devem ser suficientes
2. movimentar cavalos e bispos antes de torres e dama
3. levar as peças para as casas em que são mais efetivas
4. colocar o rei em uma posição protegida
5. evitar fazer vários lances com a mesma peça
6. desenvolver o máximo de peças, de preferência todas elas, nas 10 primeiras jogadas
7. evitar bloquear as próprias peças


Peões

No início da partida, os jogadores podem movimentar qualquer dos oito peões e os dois cavalos. Estas são as únicas opções no início da partida, por que os peões bloqueiam todas as outras peças. É preciso, portanto, movimentar os peões de modo a libertar as peças (bispos, dama e torres), e já buscando o controle do centro do tabuleiro.

Para isto, normalmente move-se pelo menos dois peões, o peão do rei (coluna "e") e o peão da dama (coluna "d"). Também são usados em algumas aberturas os peões dos bispos (colunas "c" e "f"), embora o movimento de um peão em frente a um bispo não o libere.

De qualquer forma, a abertura mais popular é "1. e4", ou seja, movimentar o peão da frente do rei duas casas. Este lance liberta o bispo do rei e a dama, e estabelece o controle da casa "d5" no centro do tabuleiro. Normalmente partidas iniciadas com este lance são chamadas de partidas abertas, e levam a um combate intenso nas casas centrais do tabuleiro. Era a abertura predileta de Bobby Fisher.

O segundo lance mais popular nas aberturas é "1. d4", as aberturas da dama. Também é considerado um lance forte, já que abre o caminho para o bispo da dama, e a própria dama.

Outros lances de peão iniciais são menos comuns, e alguns são considerados fracos. As aberturas de peão da torre são consideradas as piores, já que liberam uma peça que, normalmente, tem sua ação limitada nas posições iniciais, onde existem muitos peões e peças no tabuleiro. Entretanto, não se deve desprezar o jogador especializado.


Para as pretas, a resposta mais comum para "1. e4" é "1...e5", "1...c6", "1...c5", que tentam também estabelecer controle do centro do tabuleiro, abrindo também o caminho para as peças.
As melhores casas para os peões são as casas centrais, nas colunas "c", "d", "e", e "f".

Normalmente não são necessários mais que dois lances de peão para liberar todas as peças. Na situação ideal, os peões da dama e do rei avançam duas casas cada um. A missão do outro jogador é impedir que isto aconteça, avançando seus próprios peões, o que resulta em uma posição de compromisso. Entretanto, movimentar mais de dois ou três peões na abertura geralmente é perda de tempo, principalmente se o oponente desenvolver as próprias peças.


Bispos e Cavalos


No início da partida, os bispos e cavalos geralmente gozam de mobilidade aumentada. Enquanto os peões geralmente só se movem uma casa, e as torres tem seus movimentos tolhidos pelas próprias peças, cavalos conseguem se deslocar para qualquer lado do tabuleiro rapidamente, e os bispos também são capazes de fazer pressão e controlar as diagonais principais do tabuleiro.

Normalmente os jogadores procuram apoiar seus peões centrais ou atacar peões vulneráveis usando bispos e cavalos. Para os bispos, as melhores casas estão nas diagonais principais ("a1" a "h8" e "a8" a "h1"), onde é maior seu alcance, e onde eles exercem pressão sobre peões que normalmente são frágeis. Outras diagonais importantes são as imediatamente ao lado das diagonais principais, da mesma cor ou da cor diversa da diagonal principal.

Os cavalos são peças de alcance médio. O fato de poderem se deslocar sobre outras peças os tornam peças especialmente úteis para proteger peões, de trás. As melhores casas para os cavalos são, portanto, as próximas aos peões centrais. Um cavalo que esteja centralizado tem seu alcance máximo (8 casas), enquanto em uma lateral ele normalmente perde duas ou quatro casas no seu alcance.


As melhores casas para os bispos estão nas diagonais principais ou próximas delas, e os cavalos devem ficar o mais centralizado possível.

Torres e Dama

A Dama deve ficar protegida no início do jogo. Uma dama levada prematuramente ao centro do tabuleiro pode significar perda de tempo e de oportunidades de desenvolvimento, já que pode ser espantada facilmente por peças menores. Tarrasch dizia que "todo ganho de peão na abertura com a Dama é um erro". As melhores posições para a Dama, no início do jogo, é atrás, apoiando bispos e cavalos.

As Torres são as peças mais difíceis de movimentar no início da partida. Normalmente elas só são movimentadas depois de bispos e cavalos, e se limitam a ficar na mesma linha, apenas procurando as colunas centrais.

A dama deve ficar junto com as torres, atrás dos peões e peças, apoiando-as.

Rei

O rei, no início do jogo, é só um estorvo. É, durante toda a partida, a peça mais delicada, e para ele se dirigem todos os ataques do adversário. É importante tirar o rei do centro do tabuleiro o quanto antes, colocando-o em uma posição protegida, guardado por peões e algumas peças.

A maneira de conseguir fazer isto é rocando. O roque é um lance que realiza muito para o desenvolvimento da partida: traz para o jogo uma das torres, e protege o rei. Entretanto, o roque não pode ser feito antes do terceiro lance, já que há pelo menos um bispo e um cavalo no meio do caminho, que precisam ser retirados para que o roque seja executado.

O rei deve ser protegido, de preferência com um roque, de preferência com o roque pequeno.

Jogo Aberto (1.e4 e5)

As Brancas iniciam jogando 1.e4 (movendo o Peão do Rei dois espaços). Este é o movimento mais popular e têm muitas vantagens — controla imediatamente o centro e libera duas peças: a Dama e o Bispo. Bobby Fischer classificou 1.e4 como "melhor por teste", mas por outro lado 1.e4 põe o peão numa casa não defendida e enfraquece d4 e f4. Se as Pretas responderem ao movimento com 1...e5, o resultado é um jogo aberto.

O Segundo movimento mais popular para as Brancas é 2.Cf3, atacando o Peão das pretas, preparando para o roque na ala do rei e preparando o avanço do Peão da Dama para d4. A resposta mais comum das Pretas é 2...Cc6, que usualmente leva para abertura Ruy Lopez, Giuoco Piano, Defesa dos dois cavalos, ou o Gambito Escocês. Se as pretas mantêm a simetria de movimentos e contra-atacam o centro com 2...Cf6 o resultado é a Defesa Petroff. 2...d6, a Defesa Philidor, não é popular no xadrez moderno porque permite uma fácil vantagem especial para as Brancas enquanto as Pretas permanecem pregadas e passivas, entretanto sólidas.

Outras respostas para 2.Cf3 não são vistas em níveis de mestre. 2...f6?, a Defesa Damiano é considerada muito fraca. 2...Qe7, a Defesa Câmara, proteje o peão em e mas não ajuda o desenvolvimento das outras peças menores das Pretas, e bloqueia o bispo do rei. 2...d5?!, o Gambito Elefante, e 2...f5?!, o Gambito Letão, são muito arriscadas para as Pretas.

As mais populares alternativas para 2.Cf3 são 2.Cc3 (a Abertura Viena), 2.Bc4 (a Abertura do Bispo) e 2.f4 (o Gambito do Rei). Todas estas têm algumas similaridades entre elas, em particular a Abertura do Bispo que frequentemente se transpõe na Abertura Viena. O Gambito do Rei foi extremamente popular no Século XIX, com as Brancas sacrificando um peão por um desenvolvimento rápido e pondo peão das pretas para fora do centro. A Abertura Viena frequentemente retrata ataques ao centro das Pretas por meio do avanço do peão de f2-f4.

Na Abertura do Centro, 2.d4, as Brancas imediatamente abrem o centro mas se o peão está para ser recuperado depois com 2...exd4, as Brancas precisam usar a Dama prematuramente com 3.Qxd4. Uma alternativa é sacrificar um ou dois peões, como por exemplo no Gambito Dinamarquês. O desenvolvimento premature da Dama no Ataque Parham e a Abertura Napoleão parecem amadoras. De fato, elas são usualmente utilizadas por novatos, mas o Ataque Parham tem sido utilizado em alguns torneios de GMs. A Abertura Portuguesa, Abertura Alapin, Abertura Konstantinopolsky, e a Abertura Húngara Invertida são raras, tentativas anormais para as Brancas.

* 1.e4 e5 Abertura Dupla do Peão do Rei ou Abertura Aberta
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bb5 Abertura Ruy López
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.c3 Abertura Ponziani
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.d4 Abertura Escocesa
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Abertura Italiana
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Bc5 Abertura Giuoco Piano
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Bc5 4.b4 Gambito Evans
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Cf6 Defesa dos Dois Cavalos
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Be7 Defesa Húngara
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 Cd4?! Gambito Blackburne Shilling
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Bc4 f5?! Gambito Rousseau
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Cc3 Cf6 Abertura dos Quatro Cavalos
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Cc3 alguma coisa além de 3...Cf6 Abertura dos Três Cavalos
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.g3 Abertura Konstantinopolsky
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cf6 Defesa Petroff
* 1.e4 e5 2.Cf3 f5 Gambito Letão
* 1.e4 e5 2.Cf3 f6 Defesa Damiano
* 1.e4 e5 2.Cf3 d5 Gambito Elefante
* 1.e4 e5 2.Cf3 d6 Defesa Philidor
* 1.e4 e5 2.Cf3 De7 Defesa Câmara
* 1.e4 e5 2.Cf3 Df6 Defesa Greco
* 1.e4 e5 2.Bc4 Abertura do Bispo
* 1.e4 e5 2.Cc3 Abertura Viena
* 1.e4 e5 2.f4 Gambito do Rei
* 1.e4 e5 2.d4 exd4 3.Qxd4 Abertura do Centro
* 1.e4 e5 2.d4 exd4 3.c3 Gambito Dinamarquês
* 1.e4 e5 2.Dh5 Ataque Parham
* 1.e4 e5 2.Bb5 Abertura Portuguesa
*1.e4 e5 2.c3 Abertura Lopez
* 1.e4 e5 2.Cf3 Cc6 3.Be2 Abertura Húngara Invertida
* 1.e4 e5 2.Ce2 Abertura Alapin
* 1.e4 e5 2.Df3?! Abertura Napoleão


Jogo Semi-aberto (1.e4, as Pretas jogam diferente de 1...e5)

Nos jogos semi-abertos as Brancas jogam 1.e4 e as Pretas quebram a simetria imediatamente com um movimento diferente de 1...e5. As defesas mais populares para 1.e4 são a Siciliana, a Francesa e a Caro-Kann. A Pirc e a Moderna também são vistas, enquanto a Alekhine e a Escandinava tem ocasionalmente aparecido em jogos do Campeonato Mundial de Xadrez. A Nimzowitsch é jogável mas rara, assim como a Owen. A Defesa Grob e a Defesa St. George são estranhas, entretanto Tony Miles certa vez utilizou a Defesa St. George's para derrotar o então campeão mundial Anatoly Karpov.

A Defesa Siciliana e a Francesa levam a posições desbalanceadas que podem oferecer um jogo interessante com ambos os lados tendo chances de vencer. A Defesa Caro-Kann Defense é sólida com as Pretas pretendendo utilizar o peão-c para apoiar seu centro (1.e4 c6 2.d4 d5). A Defesa Alekhine, Pirc e a Moderna são hipermodernas em que as Pretas incitam as Brancas a construir um centro largo, com o objetivo de atacá-lo a distância.

* 1.e4 a6 Defesa St. George
* 1.e4 b6 Defesa Owen
* 1.e4 c5 Defesa Siciliana
* 1.e4 c6 Defesa Caro-Kann
* 1.e4 Cc6 Defesa Nimzowitsch
* 1.e4 d5 Defesa Escandinava
* 1.e4 d6 2.d4 f5 Defesa Balogh
* 1.e4 d6 2.d4 Cf6 3.Cc3 c6 Defesa Tcheca
* 1.e4 d6 2.d4 Cf6 3.Cc3 g6 Defesa Pirc
* 1.e4 e6 Defesa Francesa
* 1.e4 e6 2.d4 c5 Defesa Franco-Benoni
* 1.e4 Cf6 Defesa Alekhine
* 1.e4 g5 Defesa Grob
* 1.e4 g6 Defesa Moderna
* 1.e4 f5 Defesa Fred


Jogo Fechado (1.d4 d5)

As aberturas classificas como fechadas começam com 1.d4 d5. O movimento 1.d4 oferece os mesmos benefícios de desenvolvimento e controle do centro como 1.e4 faz, mas em vez do Peão do Rei em e4 que está indefeso, o peão d4 está protegido pela Dama Branca. Esta pequena diferença tem um tremendo efeito na abertura. Por exemplo, enquanto o Gambito do Rei raramente é jogado nos níveis avançados de xadrez, o Gambito da Dama permanence como uma arma popular em todos os níveis do jogo. Também, quando comparadas com as aberturas do Peão do Rei, as transposições entre variações são mais comuns e críticas nos jogos fechados.

O Ataque Richter-Veresov, Sistema Colle, Ataque Paredão, e o Gambito Blackmar-Diemer são classificados como aberturas do Peão da Dama porque as Brancas jogam d4 mas não c4. O Richter-Veresov raramente é jogado nos níveis avançados de xadrez. O Colle e o Paredão são considerados sistemas em vez de uma variação específica de abertura. As brancas desenvolvem uma formação particular sem grandes preocupações sobre como as Pretas escolherão se defender. Ambos os sistemas são populares em clubes pois são fáceis para aprender, mas raramente usados por profissionais porque um enxadrista bem preparado pode facilmente equilibrar a partida com as Pretas. O Gambito Blackmar-Diemer é uma tentative das Brancas de abrir linhas e obter chances de ataque. Muitos enxadristas professionais consideram muito arriscado para uma partida séria, mas é considerada popular em jogos amadores e xadrez relâmpago.

As mais importantes aberturas fechadas são da família do Gambito da Dama, onde as Brancas jogam 2.c4). O Gambito da Dama é de certa forma confundido, uma vez que as Brancas podem recuperar o peão ofertado se assim quiserem. No Gambito da Dama Aceito, as Pretas jogam...dxc4, desistindo do centro por um desenvolvimento livre e a chance para tentar dar as Brancas um Peão da Dama isolado com o subsequente...c5 e ...cxd5 enquanto as Brancas terão peças ativas e possibilidades para um ataque. As Pretas tem duas maneiras populares de recusar o Peão, a Defesa Eslava (2...c6) e o Gambito da Dama Recusado (2...e6). Ambos os movimentos levam a uma imensa floresta de variações que podem exigir uma grande habilidade para estudo de aberturas para jogar bem. Entre as muitas possibilidades do Gambito da Dama Recusado estão a Defesa Ortodoxa, a Lasker, a Cambridge-Springs, a Variação Tartakower, e as Tarrasch e Semi-Tarrasch.

Respostas das Pretas ao Gambito da Dama diferentes de 2...dxc4, 2...c6, e 2...e6 são incomuns. A Defesa Chigorin (2...Cc6) é jogável mas rara. A Defesa Simétrica (2...c5) é o mais direto desafio ao Gambito da Dama na teoria — Podem as Pretas equalizar a partida simplesmente copiando o movimento das Brancas? A maioria dos teóricos nas aberturas acredita que não, e conseqüentemente a Defesa Simétrica não é popular. A Defesa Báltica (2...Bf5) é a mais direta solução para resolver o problema do Bispo da Dama Preto através do seu desenvolvimento no Segundo movimento. Entretanto esta não é confiável para a maioria dos enxadristas de elite, não tem sido refutada e alguns Grandes Mestre muito fortes a tem usado. O Contragambito Albin (2...e5) é geralmente considerado muito arriscado para torneios de alto nível similarmente a Defesa Marshall (2...Cf6) sendo estes raramente vistos em jogos de Grandes Mestres, assim como a maioria dos teóricos as consideram definitivamente inferiores para as Pretas.

* 1.d4 d5 Abertura Dupla do Peão da Dama ou Abertura Fechada
* 1.d4 d5 2.Cc3 Cf6 3.Bg5 Ataque Richter-Veresov
* 1.d4 d5 2.c4 Gambito da Dama
* 1.d4 d5 2.c4 dxc4 Gambito da Dama Aceito (GDA)
* 1.d4 d5 2.c4 c5 Defesa Simétrica
* 1.d4 d5 2.c4 c6 Defesa Eslava
* 1.d4 d5 2.c4 Cc6 Defesa Chigorin
* 1.d4 d5 2.c4 e5 Contragambito Albin
* 1.d4 d5 2.c4 e6 Gambito da Dama Recusado (GDR)
* 1.d4 d5 2.c4 Bf5 Defesa Báltica
* 1.d4 d5 2.c4 Cf6 Defesa Marshall
* 1.d4 d5 2.e3 Ataque Paredão
* 1.d4 d5 2.e4 Gambito Blackmar-Diemer
* 1.d4 d5 2.Cf3 Cf6 3.e3 Sistema Colle
* 1.d4 d5 2.Bf4 Sistema Londres


Sistemas Índios (1.d4 Cf6)


Os sistemas índios são defesas assimétricas para 1.d4 que empregam a estratégia hipermoderna do xadrez sendo fianchettos são comuns em muitas dessas aberturas. Assim como as Aberturas Fechadas, transposições são muito importates em muitas das Defesas Índias e podem ser alcançadas por várias ordens diferentes de movimentos. Embora as Defesas Índias tenham sido campeãs na década de 1920 por enxadristas da escola hipermoderna, elas não foram totalmente aceitas até que os enxadristas soviéticos mostrarem no final da década de 1940 que estas eram boas para as Pretas. Desde então, as Defesas Índias têm sido a mais popular resposta para 1.d4 porque oferece uma partida desbalanceada com chances para ambos os lados.

A Defesa Benoni é uma arriscada tentativa das Pretas de desbalancear a posição e ganhar uma peça ativa ao custo de permitir as Brancas um peão calço em d5 e uma maioria no centro. As Brancas usualmente jogam por uma quebra no centro com e5, enquanto as Pretas tentam afetar ...b5. Tal popularizou a defesa na década de 1960, vencendo muitos jogos brilhantes com ela, e Bobby Fischer ocasionalmente a adotou, com bons resultados, incluindo uma vitória no Campeonato Mundial de 1972 numa partida contra Boris Spassky. As Pretas às vezes adotam uma ordem de movimento um pouco diferente, jogando 2...e6 antes de 3...c5. Muitos enxadristas fazem isto para evitar uma afiada linha das Brancas. Depois de 1.d4 Cf6 2.c4 c5 3.d5 e6 4.Cc3 exd5 5.cxd5 d6 6.e4 Bg7, as Brancas podem jogar a afiada 7.Bb5+ Cfd7 (considerada a melhor) 8.f4; mas jogando 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 c5, as Pretas evitam esta linha.

O Gambito Benko-Volga é algumas vezes utilizado por enxadristas fortes, e é muito popular em níveis iniciantes. As Pretas jogam para abrir linhas na ala da Dama onde as Brancas estarão sujeitas a uma considerável pressão. Se as Brancas aceitam o Gambito, a compensação das Pretas é posicional em vez de tática, e sua iniciativa pode durar mesmo após a troca de várias peças e bem dentro do final de partida. As Brancas às vezes escolher tanto decliner o Gambito como devolver o peão ganho.

Advogada por Nimzowitsch no início de 1913, a Defesa Nimzoíndia foi o primeiro sistema índio a ganhar total aceitação. Esta remanesce como uma das mais populares e bem respeitadas defesas para 1.d4. As pretas atacam o centro com peças e se preparam para trocar um Bispo por um Cavalo para enfraquecer a ala da Dama com peões dobrados.

A Defesa Índia da Dama é considerada sólida, segura, e talvez de alguma maneira empatável. As Pretas algumas vezes escolhem a Índia da Dama quando as Brancas evitam a Nimzoíndia jogando 3.Cf3 em vez de 3.Cc3. As Pretas constroem uma boa posição que não fazem concessões de posição, embora algumas vezes dificulte para as Pretas as chances de obter uma chance de vitória. Karpov é considerado um expert nesta abertura.

A Defesa Bogo-Índia é uma sólida alternativa para a Índia da Dama, em que algumas vezes é transposta. Esta é menos popular que a abertura, entretanto, talvez porque muitos enxadristas são aversos a desistir do par de bispos (particularmente sem dobrar is Peões das Brancas), como as Pretas terminam por fazer 4.Cbd2. A clássica 4.Bd2 De7 é algumas vezes vista, embora mais recentemente 4...a5!? e até mesmo 4...c5!? têm surgido como alternativas. 4.Cc3, transpondo para a Nimzoíndia é perfeitamente jogável mas raramente vista, uam vezque a maioria dos enxadristas que jogam 3.Cf3 fazem isto para evitar esta abertura.

A Defesa Índia do Rei é agressiva e de certa forma arriscada, e geralmente indica que as pretas não se satisfarão com um empate. Embora tenha sido ocasionalmente usada no início do século XIX, a Índia do Rei foi considerada inferior até a década de 1940 quando foi apresentada nas partidas de Bronstein, Boleslavsky, e Reshevsky. A defesa favorita de Fischer para 1.d4, perdeu popularidade no meio da década de 1970. O sucesso de Kasparov com a defesa restaurou a proeminência da defesa na década de 1980.

Ernst Grünfeld debutou a Defesa Grünfeld em 1922. Distinguida pelo movimento 3...d5, Grünfeld pretendia uma melhoria na Índia do Rei que não foi considerada inteiramente satisfatória na época. A Defesa Grünfeld tem sido adotada pelos Campeões Mundiais Smyslov, Fischer, e Kasparov.

A Defesa Índia Antiga foi introduzida por Tarrasch em 1902, mas é comumente associada com Chigorin que a adotou cinco anos depois. É similar a Índia do Rei em que ambas apresentam um peão no centro com ...d6 e ...e5, mas na Índia Antiga Preta o Bispo do Rei é desenvolvido para e7 em vez de ficar flanqueado em g7. A Índia Antiga é sólida, mas as posições são usualmente pregadas e falta as possibilidades dinâmicas encontradas na Índia do Rei.

A Abertura Catalã é caracterizada pelas Brancas formando um centro de Peões em d4 e c4 e flanquando o Bispo do Rei. Ela se parece com uma combinação do Gambito da Dama com a Abertura Réti. Desde que a Catalã pode ser alcançada de diferentes ordens de movimento, algumas vezes é chamada de Sistema Catalão.

O Ataque Neo-Índio, Ataque Torre, e o Ataque Trompowski são variações anti-Índia das Brancas. Relacionadas ao Ataque Richter-Veresov, elas apresentam um Bg5 inicial das Brancas e evitam muito da detalhada teoria de outras Aberturas do Peão da Dama.

O Tango do Cavalo Preto ou Defesa Mexicana introduzida por Carlos Torre em 1925 em Baden divide similaridades com a Defesa Alekhine com as Pretas tentando induzir um prematuro avanço do Peão das Brancas. Ela pode ser transposta em muitas outras defesas.

O Gambito Blumenfeld (ou Contragambito) leva a uma superficial mas equivocada semelhança com o Gambito Benko, pois os objetivos das Pretas são muito diferentes. As Pretas gambitam um Peão da ala na tentativa de construer um centro forte. As brancas podem tanto aceitar como decliner para manter uma pequena vantagem posicional. Embora seja jogável pelas Pretas, o Blumenfeld não é muito popular.

A Defesa Döry é incomum, mas foi algumas vezes adotada por Keres, e irá às vezes se transpor numa variação da Defesa Índia da Dama mas com linhas independentes.

A Defesa Budapeste raramente é jogada em partidas de Grandes Mestres, mas algumas vezes é utilizada por amadores. Embora seja um gambito, as Brancas usualmente permitem as Pretas recuperar o peão sacrificado.

* 1.d4 Cf6 2.c4 c5 Defesa Benoni
* 1.d4 Cf6 2.c4 c5 3.d5 b5 Gambito Benko-Volga
* 1.d4 Cf6 2.c4 Cc6 Tango do Cavalo Preto
* 1.d4 Cf6 2.c4 d6 Defesa Índia Antiga
* 1.d4 Cf6 2.c4 e5 Defesa Budapeste
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cc3 Bb4 Defesa Nimzoíndia
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 Bb4+ Defesa Bogo-Índia
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 b5 Defesa Polaca
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 b6 Defesa Índia da Dama
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 c5 4.d5 b5 Contragambito Blumenfeld
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Cf3 Ce4 Defesa Döry
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.Bg5 Ataque Neo-Índio
* 1.d4 Cf6 2.c4 e6 3.g3 Abertura Catalã
* 1.d4 Cf6 2.c4 g6 3.Cc3 d5 Defesa Grünfeld
* 1.d4 Cf6 2.c4 g6 3.Cc3 Bg7 Defesa Índia do Rei (DIR)
* 1.d4 Cf6 2.Nf3 e6 3.Bg5 Ataque Torre
* 1.d4 Cf6 2.Cg5 Ataque Trompowski

Outras respostas das Pretas para 1.d4

Existem muitas outras defesas que podem ser usadas para 1.d4. A mais comum é a agressiva Defesa Holandesa. A Holandesa, adotada por um tempo pelos campões mundiais Alekhine e Botvinnik, e jogada Botvinnik e seu desafiante David Bronstein no Campeonato Mundial de Xadrez de 1951, ainda é utilizada ocasionalmente por enxadristas de alto nível como Short e outros. Outra abertura bastante comum é a Defesa Benoni, que pode se tornar bem variada se transposta para a Benoni Moderna, de qualquer forma outras variações são mais sólidas. O Gambito Englund é um raro e dúbio sacrifício. A Defesa Polaca nunca foi muito popular mas Spassky, Ljubojevic, e Csom, entre outros, tentaram utilizá-la. A Defesa Keres (também conhecida como Defesa Canguru), é totalmente jogável, mas tem pouca significância, desde que é transposta na Holandesa, Nimzoíndia, ou Bogo-Índia. A Defesa do Cavalo da Dama é uma abertura incomum que muitas vezes se transpõe na Defesa Nimzowitsch depois de 1.d4 Nc6 2.e4 ou na Defesa Chigorin depois de 2.c4 d5, embora possa levar a linha únicas, como por exemplo depois de 1.d4 Cc6 2.d5 ou 2.c4 e5.

* 1.d4 b5 Defesa Polaca
* 1.d4 c5 Defesa Benoni
* 1.d4 Cc6 Defesa do Cavalo da Dama
* 1.d4 d6 Defesa Wade
* 1.d4 e5 Gambito Englund
* 1.d4 e6 2.c4 b6 Defesa Inglesa
* 1.d4 e6 2.c4 Bb4+ Defesa Keres
* 1.d4 f5 Defesa Holandesa


Aberturas de Flanco (incluindo a Inglesa, Réti, Bird, e flancos das Brancas)

As Aberturas flanco são um grupo de aberturas das Brancas tipificadas por um ou ambos os flancos. As Brancas jogam no estilo hipermoderno, atacando o centro pelos flancols com peças em vez de ocupá-lo com Peões. Estas aberturas são jogadas às vezes, e 1.Cf3 e 1.c4 perseguem apenas 1.e4 e 1.d4 em popularidade de movimentos de abertura.

A Abertura Réti é caracterizada pelas Brancas jogando 1.Cf3, flanqueando um ou os dois Bispos, e não jogando de início d4 (o que geralmente transporia em uma abertura de 1.d4).

O Ataque Índio do Rei (AIR) é um sistema desenvolvido pelas Brancas que pode ser usado como resposta para quase todas as Aberturas das Pretas. A característica do AIR é configurar 1.Cf3, 2.g3, 3.Bg2, 4.0-0, 5.d3, 6.Cbd2, embora 7.e4, embora estes movimentos possam ser jogados em diferentes ordens. De fato, o AIR é provavelmente mais utilizado depois de 1.e4 quando as Brancas o usam para responder a uma tentative das Pretas de jogar uma Abertura Semi-Aberta tal como a Caro-Kann, Francesa, ou Siciliana, ou mesmo em jogos abertos. Seu grande apelo talvez seja que adotando um padrão de desenvolvimento, as Brancas podem evitar uma larga quantidade de estudos requeridos para encontrar a maioria das diferentes possibilidades de resposta das Pretas para 1.e4.
A Abertura Inglesa também é frequentemente transposta em aberturas 1.d4, mas pode ter uma característica independente como bem incluindo variações simétricas (1.c4 c5) e a Defesa Siciliana revertida (1.c4 e5).

A Abertura Larsen e a Sokolsky são ocasionalmente vistas em partidas de GMs. Benko usou 1.g3 para derrotar Fischer e Tal em 1962 no Torneio de Candidatos em Curaçao.

Com a Abertura Bird as Brancas tentam ter um forte apoio sobre a casa e-5. A abertura pode lembrar a Defesa Holandesa invertida depois de 1.f4 d5, ou as Pretas podem tentar interromper as Brancas jogando 1...e5!? (Gambito From).

* 1.b3 Abertura Larsen
* 1.b4 Abertura Sokolsky
* 1.Cc3 Abertura Dunst
* 1.c4 Abertura Inglesa
* 1.Cf3 Abertura Réti (caracteristicamente seguida pelo flanqueamento de um ou dois Bispos e não jogando de início d4)
* 1.Cf3, 2.g3, 3.Bg2, 4.0-0, 5.d3, 6.Cbd2, 7.e4 Ataque Índio do Rei (AIR) (movimentos podem ser jogados em ordens diferentes)
* 1.f4 Abertura Bird
* 1.g3 Abertura Benko


Movimentos não usuais para as Brancas

Cada uma destas aberturas raramente é adotada por uma ou mais das seguintes razões: é considerada muito passiva para as Brancas (1.e3, 1.d3, 1.c3); gratuitamente enfraquece as posições das Brancas (1.f3, 1.g4); não faz nada para ajudar o desenvolvimento das Brancas ou controlar o centro (1.f3, 1.a4, 1.h4); ou desenvolve o cavalo para uma casa inferior (1.Ch3 ou 1.Ca3).

* 1.a3 Abertura Anderssen
* 1.Ca3 Abertura Durkin
* 1.a4 Abertura Ware
* 1.c3 Abertura Saragossa
* 1.d3 Abertura Mieses
* 1.e3 Abertura Van 't Kruijs
* 1.f3 Abertura Barnes
* 1.g4 Ataque Grob
* 1.h3 Abertura Clemenz
* 1.Ch3 Abertura Amar
* 1.h4 Abertura Deprès



Última edição por Leon Mendes em Qua 28 Mar 2012, 16:08, editado 6 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
avatarPandão

Idade : 23
Posts : 484
Agradecido : 25
Cadastrado : 18/08/2011
Rio Grande do Sul

MensagemAssunto: Re: Princípios básicos de Abertura   Sab 26 Nov 2011, 17:29

Muito bom o texto e bom resumo de aberturas =D
Para os que estão começando a estudar aberturas,estudem primeiro as que você mais se sentir familiarizado( se você prefere peão da dama estude todas possiveis,se peão do rei também) e não despreze algumas variantes que pareçam absurdas como o gambito englund(1.d4 e5) que podem vir a se tornar uma carta na manga ou podem vir a ser um prego no sapato( é pior que pedra).
E se for estudar uma abertura complexa como a siciliana ou outras não se prenda a ver videos e a ver apenas poucos movimentos,pegue livros especificos de como jogá-las e como ir contra elas pois assim você aprende o que o adversário poderá usar contra você e pratique ela mesmo contra uma engine fraquíssima para não enferrujar.

____________________________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Princípios básicos de Abertura

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Tabuleiro Social :: Discussões & Debates :: Academia do Fórum :: Estudo de Aberturas-